Limites pessoais e ansiedade | Marina Figueiredo — Made in Gold Pular para o conteúdo principal
Aperte ENTER para buscar ou ESC para cancelar!

Hey! Já conhece meu canal?

Limites pessoais e ansiedade

0

"Como você consegue fazer tudo sozinha?", essa é a pergunta que eu mais recebo desde que me mudei pra BH. Até então, eu estava seguindo firme tentando não dar tanta importância para a falta de produtividade e pressão psicológica (que eu mesma colocava em mim).

Sabe quando você quer fazer várias coisas ao mesmo tempo, resolver tudo logo e não consegue fazer nada bem feito? Era assim que eu estava. Desde que me mudei pra cá, a ansiedade se tornou mais forte e mais frequente na minha vida. 

Eu tinha a sensação de que estava fazendo um milhão de coisas, desde domésticas até acadêmicas e profissionais, e ainda assim não saía do lugar, parecia que eu não estava sendo produtiva o suficiente ou dando o melhor de mim pra que tal coisa acontecesse. Esse turbilhão de sentimentos e pensamentos se tornou um esgotamento físico, psicológico e emocional.

Comecei a fazer tudo no "modo automático", desanimei de muitas coisas e atividades que faziam parte da minha rotina e me deixei levar por essa bad vibe. Tive várias crises de ansiedade, onde tudo o que eu queria era que minha cabeça desligasse por pelo menos alguns segundos.

Até eu entender que a gente não precisa "seguir o cronograma" todos os dias e ter dias super produtivos, demorou muito! Porém, respeitar os meus limites ainda não é algo "natural". 

Todo mundo tem uma fuga, algo que a gente faz pra se sentir melhor, ocupar a mente e se acalmar. A minha sempre foi ler e escutar música, mas nesses últimos dias nem isso estava resolvendo. Conversar sobre o que eu estava sentindo e pensando com as minhas amigas e sair um pouco da rotina nos finais de semana me ajudou bastante, aliviou a barra e a pressão que eu estava colocando em mim. 

Aceitar e entender que cada pessoa tem o seu tempo, é um processo demorado e que deve ser feito diariamente. As coisas levam tempo pra acontecer e acompanhar e aceitar esse ritmo, pra mim é a tarefa mais difícil. 

Como eu disse, sempre quis resolver as coisas rápido, pra ontem sabe? Ficar livre e não ter que me preocupar. Mas quando se mora sozinha a gente percebe que SEMPRE vai ter algo pra resolver, que imprevistos acontecem e que temos que estar preparados e calmos pra lidar da melhor forma possível. 

A forma que eu encontrei pra lidar com essa pressão do dia a dia foi priorizando as minhas atividades. Se eu tenho 10 coisas pra fazer, por exemplo, faço primeiro as que são urgentes e ao longo da semana faço as outras que não são tão importantes. 

O que eu quero dizer é que, não é fácil fazer tudo sozinha. Temos que aprender a lidar com os nossos sentimentos, pressão do dia a dia, administrar bem o nosso tempo e etc. E principalmente entender que as coisas levam tempo, que apesar da gente se dedicar muito, todos os dias, as coisas não vão acontecer do dia para a noite.

xx